Pneu de caminhão: Como aumentar a vida útil e durabilidade? - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
Pneu de caminhão: Como aumentar a vida útil e durabilidade?

O pneu de caminhão é um componente que precisa estar em bom estado para que o motorista possa percorrer as estradas com eficiência. Para vencer aquaplanagem, buracos, trajetos mal sinalizados, entre outras circunstâncias, é necessário contar com compostos de borracha capazes de sustentar quaisquer condições de trânsito.

Cuidar dos pneus corretamente gera economia e conserva diversas partes mecânicas do veículo. Além disso, conservá-los de forma adequada garante à sua frota e aos demais usuários de rodovias a segurança para transitar país afora.

Se você deseja aumentar a durabilidade do pneu de caminhão, confira as dicas deste post!

Realize alinhamento e balanceamento

O veículo está puxando muito para um lado? O volante vibra? Há trepidações no solo mesmo em estradas conservadas? Esses fatores mostram que o caminhão precisa, com urgência, de alinhamento e balanceamento.

O balanceamento deve ser realizado quando o condutor identifica que o conjunto roda e pneu não está funcionando em simultâneo. Uma máquina que manifesta esse problema está sujeita a perder estabilidade e tração, além de ocasionar gasto acentuado na borracha, eliminando os sulcos — ranhuras que evitam derrapagens.

Ver que o veículo demanda alinhamento é mais simples: é só verificar se ele pende para um lado quando está correndo em uma reta. Isso pode acontecer devido ao impacto constante na suspensão ou ao desgaste de peças desse sistema. Mantê-lo alinhado é a garantia de rodar com estabilidade e segurança.

Esses dois procedimentos devem ser feitos regularmente. As montadoras sugerem que sejam executados a cada 10 ou 15 km rodados, dependendo da condição das vias e do tipo de carga transportada.

Calibre o pneu de caminhão corretamente

Trata-se de um procedimento rápido e eficiente. É um investimento baixo que rende muito: calibrar os pneus a cada 15 dias ou antes de uma viagem longa é fundamental, mas você já pensou nas possíveis consequências de a calibragem não ser feita em condições ideais?

Um pneu de caminhão devidamente calibrado tem uma durabilidade maior. Já um que não recebe esse tipo de atenção aumenta o consumo de diesel custo que pode comprometer os lucros da transportadora , além de prejudicar a estabilidade e aumentar o desgaste.

Vale lembrar que é preciso colocar a pressão correta. Para isso, siga as recomendações do fabricante. Fique atento, pois uma pressão excessiva pode desgastar o centro de rodagem e estourar o componente. Toda vez que for calibrar o estepe, adicione algumas libras a mais para nivelar o esvaziamento espontâneo. Dessa forma, quando tiver que utilizá-lo, ele não estará murcho.

Importante: oriente sua equipe para verificar a pressão logo no início do dia e/ou antes de rodar por muito tempo, até no máximo 2 Km de distância. Isso porque a temperatura alta influencia a pressão do ar, ou seja, quanto mais quente os pneus estiverem, mais ineficiente será a calibragem.

Pratique o rodízio de pneus

Uma recomendação valiosa, que pode ser encontrada na grande maioria dos manuais dos fabricantes, é efetuar o rodízio dos pneus sempre que indicado. Essa substituição pode amenizar a diferença de desgaste e deve ocorrer a cada 10 mil Km. Essa prática melhora a performance e oferece uma vida útil maior, sem contar que dá mais estabilidade em curvas e frenagens.

Dependendo do tipo de caminhão, há instruções específicas para que o rodízio seja realizado com eficiência a fim de alinhar os desgastes. Em modelos tipo toco, por exemplo, o revezamento do pneu do eixo dianteiro deve ser feito, a princípio, com a troca de posição. Posteriormente, ele deve ser colocado na traseira. Existe, inclusive, uma regra que precisa ser considerada: comece pelos pneus externos para depois lidar com os de dentro.

Nos veículos Truck, os pneus da frente devem trocar de lado: o que fica no lado interno deve revezar com o da parte de fora e assim por diante. Para os semirreboques, inicialmente, é necessário fazer a troca entre os pneus de dentro com os externos. Só depois, é recomendado trocá-los de eixo. Quando o processo chegar ao último eixo, retorne ao primeiro, porém, isso só é possível se a borracha ainda estiver em bom estado.

Entre as técnicas mais utilizadas estão:

  • método cruzado, que é muito comum entre motoristas, mas pode ocasionar trepidações no caminhão enquanto a borracha se ajusta ao desgaste;
  • método longitudinal, que causa um efeito reduzido em relação ao primeiro.

Durante esses procedimentos, é essencial verificar as rodas e os aros. Caso eles sejam de modelos distintos, torna-se impossível fazer o rodízio, pois as dimensões são diferentes.

Executar essas práticas pode ajudá-lo a esticar o tempo de uso dos pneus. Se a economia de não ter que desembolsar com componentes novos antes do esperado for colocada na calculadora, a gestão financeira da sua transportadora será mais positiva.

Inspecione os componentes interligados

É necessário destacar que rodas e pneus não trabalham sozinhos no veículo. Além dos cuidados mencionados, é fundamental garantir que outras peças estejam em pleno funcionamento. Alguns itens, como eixo, amortecedores, molas, rolamentos e freios, são afetados diretamente pela condição de uso desses dois componentes.

Para garantir que tudo seja inspecionado, leve suas máquinas até uma oficina autorizada e realize as revisões no período recomendado para assegurar que tudo funcione da melhor forma possível. Com isso, você ganha em agilidade durante as entregas, uma vez que diminui a probabilidade de quebras durante as viagens.

Respeite o limite de carga

Todo pneu de caminhão contém a informação sobre a carga máxima na lateral. Ela é constituída por algarismos que indicam o limite de peso do pneu. Vale garantir que o veículo não esteja percorrendo com volume de carga acima do tolerável para evitar oscilações nos eixos e transitar em segurança. O excesso pode exigir mais do motor e comprometer o sistema mecânico.

Tenha atenção redobrada na pista

Sua equipe de motoristas deve ter muita cautela e verificar por onde está passando. Portanto, treine-os para nunca desviar o foco ao percorrer as vias e para não passar por cima de buracos e objetos.

Para você ter uma ideia, dependendo da dimensão do buraco, há a possibilidade de o pneu furar ou rasgar e amassar a roda. Quanto ao acostamento, por malandragem ou por necessidade, sua utilização é frequente, porém, toda a sujeira da estrada fica posicionada nessa área. Se quiser garantir a integridade da borracha e a segurança dos seus condutores, fale para eles evitarem esse espaço.

Esperamos que as dicas sobre pneu de caminhão expostas ao longo deste conteúdo tenham sido úteis para você. Aliar essas práticas ao planejamento de manutenção da frota certamente melhorará a gestão dos seus veículos, trazendo economia e mais qualidade para suas entregas.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe-o com seus colegas caminhoneiros e frotistas nas suas redes sociais para que eles também saibam como garantir a durabilidade dos pneus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *