6 vícios de direção para você evitar! - Blog Cavese Scania - Tudo sobre o seu caminhão
6 vícios de direção para você evitar!

Os caminhoneiros passam grande parte do tempo dirigindo. Junto com a experiência adquirida a bordo do companheiro de viagem, podem surgir vícios de direção que são prejudiciais ao trânsito, à segurança e à saúde do caminhão. Dirigir de maneira inapropriada pode trazer gastos indesejados, já que os  “maus costumes” têm potencial para causar o desgaste prematuro de algumas peças.

Durante o treinamento, aprendemos técnicas que nos incentivam a adotar uma postura corporal adequada, realizar os movimentos corretamente e zelar pela segurança. Acontece que a autonomia se expande logo que conquistamos a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e passamos a conduzir nossos próprios caminhões.

Com isso, podemos começar a dirigir de maneira particular, transferindo nossas “manias” para o controle do veículo. Veja quais são os principais vícios de direção, fizemos este artigo especialmente para você!

 1. Trafegar com o caminhão desengrenado

Muitos motoristas acreditam que circular com o caminhão no ponto morto reduz o consumo de combustível. Mito! Na verdade, o consumo é ainda maior. Ao retirar o pé do acelerador e colocar o caminhão em ponto neutro, o sistema de injeção do veículo entende que mais combustível deve ser introduzido no sistema de alimentação do motor.

Quando o caminhão está desengrenado, ele propicia ainda a queima de combustível, não havendo, portanto, influência da inércia, que auxilia na movimentação dos veículos nas marchas de alta rotação. Além de aumentar o consumo de combustível, a “bangela” sobrecarrega o sistema de freios, já que o caminhão não contará com o freio motor.

Jamais deixe o caminhão no ponto morto ao descer as serras, pois isso pode levar à perda do controle e, consequentemente, a acidentes. Utilize a marcha adequada à velocidade permitida pela via durante as descidas, assim você preservará os freios e garantirá a sua segurança e a das demais pessoas.

2. Rodar com o caminhão na reserva

Esperar até o último instante para abastecer não é uma boa opção. O que muitos motoristas não sabem é que um caminhão parado na via por falta de combustível pode ser sinônimo de multa. De acordo com o CTB, a pane seca pode ser considerada infração média, logo, passível de multa e penalização de 4 pontos na CNH.

A famosa pane seca pode acarretar problemas no motor, na bomba de combustível e nos demais componentes do sistema de alimentação. A bomba deve sempre permanecer submersa no combustível, quando isso não ocorre, ela pode queimar. Isso acontece porque a sua temperatura será elevada diante da ausência do combustível. O líquido, além de ser responsável pela combustão no motor, é também utilizado para arrefecer a bomba.

Após trafegar por algum tempo com o caminhão na reserva, pode ser que os bicos injetores também apresentem defeitos que levarão o caminhão às conhecidas falhas,  aos “engasgos” ou até à parada total. A sujeira sugada pela bomba no fundo do tanque poderá entupir os bicos ou obstruir os condutores do sistema, mesmo com a presença do filtro de combustível.

3. Descansar o pé na embreagem

Entre os vícios de direção, pode ser que esse seja o mais praticado. Ao deixar o pé apoiado no pedal de embreagem, você poderá involuntariamente acionar o sistema e causar o afastamento entre o platô e o disco de embreagem. Mesmo que o caminhão permaneça em repouso, o acionamento mínimo causa o atrito entre as peças. Ao acionar a embreagem, o sistema se aquece e, consequentemente, se desgasta prematuramente.

Situação semelhante ocorre quando a embreagem é utilizada como freio nas subidas. Entretanto, o desgaste é surpreendentemente maior. Manter o caminhão inerte por meio do controle entre a aceleração e o acionamento da embreagem desgasta (além das peças já citadas) o eixo virabrequim. O funcionamento correto do conjunto depende da folga entre as peças e pisar na embreagem desnecessariamente elimina o espaço necessário à preservação do kit.

Esses hábitos podem custar caro. Reduzir a duração do kit de embreagem significa arcar com os custos da troca e deixar o caminhão parado fora do tempo certo de manutenção. Isso também quer dizer que as entregas e as viagens terão que ser adiadas, o que pode diminuir a margem de lucro da sua empresa. Por isso, deixe o pé descansar no apoio do assoalho.

4. Deixar a mão apoiada no câmbio de marchas

Após adquirir confiança e experiência, pode ser que consideremos mais confortável dirigir apenas com uma mão, deixando o outro braço apoiado na porta ou na janela. Fazer isso repetidas vezes pode se tornar um vício de direção, pois gradativamente esse comportamento será realizado sem sequer nos darmos conta. O mesmo acontece ao deixarmos a mão apoiada no câmbio de marchas.

Manter a mão no câmbio é um dos vícios de direção mais recorrentes. Fazer isso pode causar danos ao trambulador, que é a peça responsável por informar à caixa de câmbio a posição da alavanca. As posições da alavanca determinam as combinações entre as engrenagens que correspondem às marchas. Descansar a mão sobre o câmbio causa folgas que levam à perda da precisão das combinações das engrenagens, ou seja, do engate das marchas.

5. Ultrapassar o limite de carga

Desrespeitar o limite de carga estipulado pela fabricante traz diversas consequências. Entre elas, a sobrecarga do sistema de suspensão. Imagine-se carregando uma mochila por um determinado trajeto com peso superior ao que você pode suportar. Logo as dores vão aparecer e você precisará parar. O mesmo ocorre com a suspensão. A sobrecarga leva as peças a trabalharem de maneira inapropriada, forçando-as além do limite. Com as sobrecargas a necessidade de manutenção é certa.

A pressão elevada sobre as peças acentuará o desgaste, bem como acarretará o comprometimento da estabilidade e do conforto. Situação semelhante ocorre com o motor. Ele precisará trabalhar muito mais para alcançar a velocidade desejada. Além de comprometer o desempenho, o excesso de peso pode elevar a sua temperatura, sem falar, é claro, do aumento do consumo de combustível.

6. Adiar a manutenção

O caminhão funciona como um sistema integrado e a avaria de uma peça pode danificar as outras. Não protele as manutenções deixando os defeitos se acumularem. O melhor é seguir o calendário de revisões e manter em dia a manutenção preventiva. Assim você evitará gastos exorbitantes na hora dos reparos e poderá contar com o seu caminhão sempre que precisar. Não deixe a correria do dia a dia comprometer a frota, pois manter a manutenção dos veículos deve fazer parte do planejamento financeiro da empresa.

Lembre-se de que algumas ações, como calibrar os pneus e manter a troca e o nível dos fluidos de acordo com as especificações da montadora, também fazem parte da manutenção. Para percorrer os trajetos necessários sem imprevistos, o caminhão deve estar com tudo funcionando perfeitamente.

Esses são os 6 principais vícios de direção. Observe os seus comportamentos e se esforce para eliminá-los, os resultados vão surpreender você! Este conteúdo foi útil? Que tal nos seguir nas redes sociais (estamos no Facebook, no LinkedIn, também Twitter e Instagram) para continuar por dentro de notícias relacionadas ao caminhões?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *